quarta-feira, agosto 20, 2008

Camadas de Prata

"La memoria y el olvido no son actos voluntarios" 

(Jorge Luis Borges)







Há marcas do tempo sobre a tua imagem, que não desaparecem como as palavras que escreveste. Ao contrário das palavras, as imagens são mais fáceis de assimilar e mais difíceis de esquecer. Guardo-te na memória como uma fotografia pálida cujos contornos se esvaem em camadas de prata. Só os negros profundos permanecem nítidos, em contraste com o que antes era luz. 

As palavras, mesmo as escritas, levou-as o vento...  


16 comentários:

isabel mendes ferreira disse...

e o vento usa espalhar raizes....

.




beijo.

Anónimo disse...

Desculpa, marcou-te bem ou ainda não encontras-te nova memorização, pois senão já tinhas esquecido; como dizes que é a preto e branco, já não é mau.
Esta música é triste, mas como hoje levei o dia a ouvir Enya o defeito deve ser meu.

Até....
Nafta

Luz del Fuego disse...

E há raizes que resistem aos ventos...

Beijos,

Luz

Luz del Fuego disse...

Tens razão Nafta...

A ser defeito, seguramente é teu.

Até,

Luz

água disse...

versão para sorrir:
num país sem memória, e..., e... e...
pelo menos, felizmente, não há alzheimer
beijo
ana

Presença disse...

Humm... Piazzolla... que recordações!!!
.
.
.
Mulher da imagem... retratas tão bem a realidade como de um narrador participante fosses... afinal só mostra o que um coração guarda...
.
.
Luz permite-me... apesar não fazer nada o meu género, dizer à Cara Nafta que deve distinguir e penso que não lhe será difícil de o fazer (dada a sua formação), entre a realidade e o virtual... principalmente a realidade inexistente.
Costumo dizer que a escrita/leitura é um acto por excelência projectivo e raro são aqueles/as que utilizam as palavras no valor máximo destas sem prolongamento do seu Eu... mas e como afirmei é sempre um acto livre, projectivo e de identificação, mais não seja da perspectiva do/a leitor/a, o que é aceitável e respeitável... utilizar este espaço como profanador de intimidades parece-me sim, inaceitável!!!
.
Para ti minha Luz
Bjo grande
retiro.me

Anónimo disse...

O vento pode levar as palavras mas, deixa para trás quem as diz.

Fugir dos restos, só para a frente, onde é caminho.

bjs eólicos!
;-)

Miles

Luz del Fuego disse...

Presença, cariño: my casa…tu casa!

Aqui escreves o que quiseres, não precisas de pedir licença.

De entre as imagens que o meu coração colecciona, sobressai a nitidez do teu sorriso e a cor do teu olhar, em cenários de silêncio e calma.

Bjs,

(siempre tuya)

Luz del Fuego

NAFTAMOR disse...

Luz,
Só tenho que lhe pedir desculpas pelas linhas escritas pela “ Presença” referentes a mim. Renovo as desculpas, mas não vejo como utilizei este espaço para profanar intimidades, lamento sim que lhe tenha permitido que ela o tivesse feito.
Fique bem
Nafta

Luz del Fuego disse...

Miles, é por essas e por outras, (por assim dizer) que "navegar é preciso, viver não é preciso"...

;-)

É bom ter companhia pelo caminho, com ou sem palavras, seja para onde for.

Muitos beijos,
Luz

Luz del Fuego disse...

Miles, é por essas e por outras (por assim dizer) que "navegar é preciso, viver não é preciso"...

;-)

É bom ter companhia pelo caminho, com ou sem palavras, seja para onde for.

Muitos beijos,
Luz

Luz del Fuego disse...

Nafta,

Há aqui qualquer coisa que me ultrapassa e que não me apetece descortinar.

Não me peça desculpas. Não tenho nada a desculpar.

Publico os comentários que entender, seus, da Presença, anónimos, e não tenho que dar explicações (era o que mais faltava!).

Fique bem.

Luz

Luz del Fuego disse...

Felizmente Ana!..:)))

Bjs,
Luz

(a sorrir)

água disse...

...perdão
mas se há aqui um "duelo" palavras/imagem (mais não sei nem me diz respeito)deixe-me perguntar algo que sempre me fez derivar desde que me conheço: reflecte ou mesmo sente sem tradução em palavras?
um beijo
ana

Luz del Fuego disse...

Ai Ana.. Agora apanhaste-me com essas derivações, logo numa sexta-feira fim de férias, depois de uns copos a mais, não sei que te diga...

Ou melhor, sei: há palavras que têm (mesmo) de ser ditas. Por outro lado, há sentimentos que podem não se reflectir em palavras, ou mesmo não ter nenhum cabimento se traduzidos por elas. Podem mesmo perder todo sentido.

Olha, não ligues, hoje não estou de muitas palavras. Vês... Já estou a meter os pés pelas mãos!:))

Bom fds,
Bjs,

Luz

aya disse...

Bonitas palavras!!