quarta-feira, julho 09, 2008

Et si c'ètait vrai



Sabes o que faço no Verão? Espero. O que? Não é essa a pergunta. Antes deves perguntar por quem. Agora sim, já te posso responder. Espero por impossíveis. Tu saberás quem traz em si a impossibilidade de me pertencer. Há quem acredite no Outono, há quem prefira a ternura, há ainda os que se refugiam em quases. Eu sou dos acreditam que nada é verdadeiramente impossível. Sou dos que esperam…

4 comentários:

Presença disse...

Adorei o texto.
.
.
.
Fico-me pelo sabor do extravagante
.
.
Tão diferente mas tão igual. Mas que faz ver diferente. e pensar que tudo é novo.
.
.
.
Novas vidas, precisa-se!

beijo

P.S- Tem aqui um toque de "Amelie"... risos

Luz del Fuego disse...

Lindo não é? Então não havia de ter, o Yann é o mesmo!
...
Quanto a novas vidas, pode-se acompanhar a marcha do tempo ou pedir para parar o comboio na estação seginte. Há até os que voltam atrás, vê lá tu... Safa!
...
Vou tentar a extravagância, quem sabe a gente se encontra :)))

Bj.
Luz

Milesaway disse...

Assim genericamente, eu diria "se laisser emporter par une extravagante aventure", mas eu falo tão mal francês que, provavelmente percebi mal.
;-)
bjs,
Milesaway

PS: Armários na casa de banho? em coma do outro lado da cidade? what? quem precisa de um psiquiatra sou eu... ou de um professor de francês!

Luz del Fuego disse...

Se calhar dá-te mais jeito um professor de francês. O que achas de irmos ao Porto fazer um workshop com a Ângela Marques? Pelo meio vai um leitãozinho na Bairrada regado a litradas de loiras?!?! UAU! Que fome!!!:)))

Bjs,
Luz

PS: vais ao workshop e eu ao psiquiatra, na volta encontramos no Dragãuo.

LOL!!!